quinta-feira, 30 de julho de 2009

TALENTO, UNÇÃO E CRIATIVIDADE (PARTE I)

LOVE De vez em quando ainda me surpreendo com alguma lembrança da minha infância. Durante as aulas na Escola Bíblica Dominical, as professoras – na verdade, hoje sei, eram simplesmente pessoas capacitadas por Deus para serem facilitadoras no nosso processo de aprendizagem, e que amavam muito fazer isto –, se esforçavam para transmitir as verdades bíblicas usando os meios que elas tinham à sua disposição na época. Nada de aulas com animações em DVD e CD-ROM, ou nem mesmo utilizando apresentações em slides em um Data-Show, e nem com o auxílio de um retroprojetor (eram tão caros, na época). Nenhuma computação gráfica ou uso da realidade virtual: recursos que Bíblias On-Line iriam nos trazer mais tarde. Bem mais tarde…

Criatividade. As professoras – ou as “tias”, como nós as chamávamos –, se esforçavam ao máximo para nos trazer a elucidação de histórias bíblicas de maneira simples e de fácil compreensão, usando além das Revistinhas da EBD (na época, não tão modernas e bem diagramadas, como as de hoje em dia, e nem não tão coloridas como deveriam), flanelógrafos, fantoches, parábolas, cantigas, anedotas cristãs, dramatização e muita criatividade. E paciência também! Hehehe…

 

O finalista do programa "Astros" do mês de Julho de 2009, Anderson Lima,  entoando o hit gospel: "Faz um milagre em mim", de Régis Danese.

Talvez uma das parábolas que mais marcou a minha infância, e a história da minha vida como um todo, foi a Parábola dos Talentos. Uma história de autoria do próprio Senhor, escrita há milênios atrás, sendo recontada a algumas crianças, numa classe bíblica, por volta do ano de 1990. Impactou-me a forma como aquele senhor recompensou a cada um de seus súditos, quando retornou para ajustar as contas com eles, proporcionando a cada um o justo tratamento por terem multiplicado os seus talentos. “Sobre muito te colocarei”, disse aos servos que sabiamente souberam ser fiéis no pouco que receberam.

Ao servo inútil – que, temeroso em  arriscar o único talento que recebera, enterrou-o – disse o seu senhor: “Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros. Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos. Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.” (Mateus 25:26-29) Uau! Esta parte sempre me causou um enorme calafrio!

Talento. Uma palavra de um significado tão tremendo, e que agrega uma grande responsabilidade da parte daquele que o detém. Sei que um dos talentos que Deus me deu foi este que estou fazendo uso neste exato momento: o dom de escrever. E procuro fazê-lo bem, e com excelência. Tento melhorar cada vez mais, e o blog é uma das minhas maneiras preferidas de ir aperfeiçoando-o cada vez mais. Outro talento que foi-me “emprestado por Deus foi o dom de cantar, ou melhor, o dom de ministrar louvores a Ele em forma de canções. Desde que o descobri, latente dentro de mim, algo que espontaneamente foi vindo para fora, tenho procurado não enterrá-lo, mas tento usá-lo cada vez mais para o engrandecimento do Nome do Senhor Jesus Cristo.

Deus tem-me concedido nestes dias muitos outros dons, como o dom de ser pai, o dom de ser um bom amigo, o dom de ser um bom esposo, o dom de amar, o dom de ser amado, o dom de compartilhar, o dom de ensinar (e por isso, sou professor, com muito orgulho!). Ele o tem feito pela Sua imensa Graça, pois como sabemos, Graça é um “favor não-merecido”! Não mereço, realmente, que Ele faça de mim um levita, um escolhido, um vaso, um “ministro de louvor para as nações”, como ele certa vez prometeu, através da boca de um de seus profetas. Mas tudo é por Ele, tudo é para Ele, e tudo é dEle. “Glória, pois, a Ele eternamente.” (Romanos 11.36)

Ser escolhido por Deus tem as suas vantagens, e também os seus desafios e lutas inerentes ao Chamado dEle. Mas temos que ter sempre em mente que o nosso amanhã está nas mãos dEle, e que nós temos uma escolha a fazer: duvidar ou crer. Aqueles que escolhem a dúvida escolhem viver a margem do Plano, afastando-se da boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Aqueles que decidem viver pela fé, serão por ela justificados, e poderão gozar da Paz de Deus, que excede a todo o entendimento.

TALENTO, UNÇÃO E CRIATIVIDADE (PARTE II)

Talento e criatividade são instrumentos maravilhosos, mas não suficientes para a pregação do Evangelho da paz. Falta ainda um elemento, que associado a estes dois, trará um resultado sem precedentes na Historia da humanidade. Este terceiro e imprescindível elemento é a Unção de Deus.

Unção. Certa vez, ouvi em um seminário a seguinte alegoria a respeito da Unção. Um garoto perguntou para um pastor: “O que é unção?” O pastor, então, chamando à atenção do garoto para um boi, que pastava a distância, indagou: “Você está vendo aquele boi pastando?” O garoto respondeu: “Sim.” Então, falou o homem mais velho: “Aquilo não é unção.” Em seguida, olhou para um passarinho, que cantava no galho de uma árvore, e disse: “Você está ouvindo aquele passarinho, ali, cantando?”. “Sim”, disse o menino. “Aquilo também não é unção”, replicou o pastor. O garoto, exasperado, insistiu com o pastor: “Diga-me, então, o que é unção?” Após uma pausa breve, o pastor voltou-se para o garoto e concluiu, dizendo: “Se você vir um boi, no galho de uma árvore, cantando feito passarinho, aquilo é unção.

Além de boas risadas, a alegoria fez-me refletir e analisar os conceitos paradigmáticos a respeito da unção divina vigente nos dias de hoje. Alguns dizem ser aquilo que os faz tremer, literalmente, dos pés à cabeça, durante alguns minutos em um culto tipicamente pentecostal. Outros defendem que a Unção é uma propriedade deles mesmos, e que podem transferi-la a quem e no momento em que assim o desejarem. Absurdo!

Ora, vós tendes a unção da parte do Santo, e todos tendes.” (I João 2:20)

A Unção é, antes de tudo, manifestação do poder de Deus em nós, capacitando-nos para fazer algo especial em prol do Seu reino aqui na Terra! Mesmo que tenhamos (ou não) alguma experiência de gozarmos, instantaneamente, de uma paz inexplicável, ou uma alegria incontrolável, só iremos saber se, de fato, recebemos a Unção, pelos frutos que ela produz em nós: uma mente renovada, e um espírito que anseia a cada dia por mais e mais de Deus, um coração ensinável e fácil de ser tratado por Ele, uma vida santa e reta diante de Deus, etc.

E a Musicalidade? É um dom perfeito do Pai das Luzes que se manifesta em suas criaturas, caracterizando-se pela habilidade de comunicar-se musicalmente, expressando sentimentos de amor e adoração pelo Criador, bem como a proclamação ao mundo do poder do Evangelho através da linguagem artística-musical. Temos conhecido grandes músicos em nosso meio, artistas cristãos que se consagraram (ou não) no meio secular, alguns dos quais se distanciaram do Caminho. Mas isto não é uma regra: muitos têm sido chamados para serem artistas seculares, segundo uma recente profecia proferida em um dos Congressos realizados pelo reconhecido Ministério de Louvor Diante do Trono(*), e não tem negociado a sua Unção, como diz a canção da Fernanda Brum.

 

"Nas igrejas evangélicas do Brasil estão os maiores cantores do Brasil no momento (…)" Arnaldo Sacomanni, jurado do programa "Astros", do SBT.

Creio que este seja o caso de Anderson Lima, o rapaz do vídeo acima: ele foi um dos finalistas do mês de julho, do programa “Astros”, um reality show do canal de televisão brasileiro SBT, que dá espaço para que novos cantores, aqueles que tem realmente talento, e que ainda são desconhecidos do grande público, de mostrarem seu trabalho. Como eu disse lá em cima, na Parte I, Deus lhe emprestou uma linda voz, um carisma tremendo na hora de cantar e uma afinação extraordinária.  Tanto que, num dado momento, um dos jurados chegou a afirmar que os maiores cantores atualmente no Brasil estão na igreja evangélica.

Esta afirmação, saindo da boca de um crítico musical secular, merece toda a comemoração do mundo, pois parece que finalmente estamos recebendo o devido crédito que merecemos, o reconhecimento pelo trabalho social das igrejas, o qual certamente incluiu o trabalho de musicalização, principalmente, das camadas sociais mais pobres, que dificilmente teriam acesso a qualquer coisa nesta área, o que tem possibilitado o surgimento de grandes talentos, em nosso meio;  mas mesmo assim, de qualquer forma, sem o agir de Deus, a concessão dos dons, a capacitação que vem dEle para este trabalho tão árduo, e Sua infinita Graça, isto não estaria acontecendo!

Por isso, ao mesmo tempo que esta frase do Arnaldo Sacomanni merece comemoração, é mister também que venhamos a refletir sobre tudo isso, sobre os rumos da nossa Música, se é isso que queremos mesmo para a Igreja brasileira. E, acima de tudo, que venhamos a dar toda a Glória a Deus em tudo, e por tudo, e não tentar usurpar alguma dessa glória (humana, terrena e passageira) para nós mesmos, e corrermos o risco de nos afastarmos de nosso Salvador!

Soli DEO Gloria!

(*) Assista na íntegra o vídeo da gravação em que a integrante do Diante do Trono,  Helena Tannure, prega que Deus vai levantar ministros para serem músicos seculares, clique aqui. O conselho bíblico para nós é que devemos examinar tudo, e reter o que é bom! (1 Tessalonicenses 5:21)

domingo, 12 de julho de 2009

ANGÉLICA CHELLY: HERANÇA DO SENHOR…

…………………………….…….…………. “Herança do Senhor são os filhos; e o fruto do ventre, seu galardão."

Salmo 127:3.

Como é bom podermos comemorar o aniversário das pessoas a quem amamos. Mas neste dia de hoje pude comemorar o aniversário de uma pessoa muito especial para nós. Uma pessoa que até bem pouco tempo atrás nem sequer existia, mas nós já sentíamos falta dela. Uma pessoa que tem somente alguns centímetros de estatura e que pesa somente alguns poucos (?) quilos, uma pessoa com a qual eu sonho dormindo, e também sonho acordado.

DSC09190

Na verdade, eu acho que essa pessoa é mesmo um Sonho, pois toda a vez que eu a vejo eu sinto paz. Sinto-me feliz, mesmo que ela esteja bastante emburrada ou enjoada; sinto-me tranquilo, mesmo que seus berros de desespero por comida, por algo que lhe saiu das mãos, ou mesmo por um simples abraço, estejam ecoando por toda a casa. Não, não é à pessoa da minha esposa que me refiro desta vez. Claro que,  se não existisse a minha esposa, esse Sonho a que me refiro agora também não existiria na minha vida…

Estou falando do meu anjinho! Sim, acho que acertamos no seu nome, pois “Angélica” significa simplesmente “angelical”. Mas alguns sítios, desses que a gente acha o significado dos nomes das pessoas, gostam de colocar o seu sgnificado de “pura como um anjo”, e eu gostei muito porque, no caso da minha “pequenininha”, ela é assim mesmo, pura, meiga, calma, serena, angelical... Bem, isso na maior parte do tempo. Mas é claro que ela tem aqueles momentos assim, digamos, “explosivos”! E como tem! Mas digamos que nisso ela “puxou” exatamente aos pais que ela tem… Hehehe…

Momento do tradicional "Parabéns a Você"! E a hora de soprar a velinha!

Enfim, gente, minha princesa completou hoje o seu primeiro aniversário, e quero deixar aqui registrado em meu blog, neste espaço que eu tanto gosto de escrever sobre temas bíblicos, porém, hoje a mensagem é mais pessoal, é aquela que é vivenciada na intimidade do nosso lar! Somos uma família! Sim, hoje somos uma família! Sem nossa filha éramos apenas um casal (muito feliz e abençoado, por sinal), mas hoje, nós somos Família! Angélica, você nos fez sermos pais, e nós te amamos muitíssimo por isto! Um dia, você lerá essa postagem e entenderá, mas já terás essa certeza em seu coraçãozinho! A certeza de que o seu papaizinho te ama muito, e que a sua mamãezinha te ama muito também!

princesa do papai (edinaldo moraes)

adaptado por: andré de araújo neves

quando você nasceu,
conheci um novo amor.
linda e reluzente,
tão cheirosa como a flor. 
um olhar que me alegra,
um sorriso que me atrai.
a estrela mais bonita,
a princesa do papai. 
o teu pequeno abraço,
aprisiona meu coração.
o teu beijo inocente,
é motivo de emoção. 
esta é minha filha,
razão do meu viver.
Angélica, eu confesso,
“ o papai ama você “. 
como eu amo, como eu amo você minha filha… 
quanto mais o tempo passa,
multiplica alegria.
você me surpreende,
sendo noite ou sendo dia.
és a grande alegria,
que invade o meu ser.
chelly, confessamos,
“nós amamos você”.
como eu amo, como eu amo você minha filha…