domingo, 4 de abril de 2010

Ovos Quebrados e Tesouros Disfarçados

Neste final de semana saímos para passear com toda a nossa família. Fomos ao shopping: eu, minha esposa, e nossa pequena filhinha Angélica, que está prestes a completar 1 ano e nove meses. Foi um passeio especial, pois além de levarmos nossa princesinha para se divertir um pouco, se divertir nos brinquedos e lanchar naquela pequena grande agloremação de pessoas, ops, quer dizer, praça de alimentação (rs…), pudemos passar momentos preciosos em família, e até assistir um filme em 3D: "Como Treinar Seu Dragão”. Nota dez!

Nossa pequena se comportou como uma verdadeira “lady”, e se divertiu muito no filme, que conta a historia de uma comunidade de vikings que vivia seriamente infernizada por dragões, e ao final das contas, descobrem que os dragões não eram tão ruins assim, e lutando contra um inimigo em comum, acabam enfim se tornando bichos de estimação daquela vila. Enfim, um exemplo clássico de quebra de paradigmas, mas é claro que a pequena Angélica não deve ter entendido a história assim, mas com certeza ela se divertiu muito!

Mas também estávamos desejando comprar muito chocolate para adoçar nossa Páscoa, afinal, uma Páscoa sem chocolate não é a mesma coisa… E não venham me dizer que essa é a Páscoa do comércio, que este não é o verdadeiro sentido da Páscoa e tal. Sabemos de tudo isso. Mas durante o ano inteiro, adoramos comer chocolate, então não vamos deixar de comer nesta data… E a comemoração da ressurreição de Cristo não é completamente incompatível com o Ovo de Páscoa, e vice-versa. Aliás, se paramos para pensar, Ovo é um símbolo que nos remonta à Vida, e o que é a Páscoa senão uma celebração da Vida, e da vitória da Vida sobre a Morte, em Jesus? Mas aí, vem alguém me me questiona: “mas, e porquê Ovo de chocolate?”. Eu respondo: “porque é gostoso, oras!”

Enfim, compramos um Ovo de Páscoa em uma das lojas, com um certo desconto devido ao fato de que o Ovo estava quebrado! Achei interessante, por quê? Muita gente não compra Ovos quebrados, porque quer levar pra casa um Ovo inteiro, para chegar em casa e quebrar em mil pedaços para poder comer (rs…); e o sabor? É exatamente o mesmo, ou não?

Da mesma forma, muitas vezes na vida as pessoas dão menos valor à coisas que trazem alguma marca, algum defeito, alguma rachadura. As pessoas que um dia cometeram erros, são para sempre apontadas como “a pessoa que errou”… Não importa o quanto essa pessoa tenha melhorado ou mudado, buscado em Deus a transformação do seu caráter, e tenha manifestado em sua vida os frutos do Espírito (Galatas 5:22), que nada mais são do que o resultado de muita santificação e perseverança em Deus! Mas, aos olhos de muitos, essa pessoa será sempre um “errante”… Mas não é assim que Deus nos vê.

Jesus sofreu o preconceito por causa de suas origens. Diziam as pessoas a respeito dele: “Jesus de Nazaré? Por acaso pode vir alguma coisa boa de Nazaré?” (João 1:45,46), se referindo à cidade onde Ele passou parte de sua infância e juventude. Igualmente, os fariseus arguementaram: “Examina, e verás que da Galiléia nenhum profeta surgiu…” (João 7:52)

Porém, a cidade natal de Jesus Cristo era Belém (não a do Pará!), e esta era igualmente desprezada e menosprezada: “Mas tu, Belém Efrata, posto que pequena para estar entre os milhares de Judá, de ti é que me sairá àquele que há de reinar em Israel...” (Miquéias 5:2).

Enfim, nesta Páscoa, a nossa reflexão é esta: assim como o Ovo de Páscoa que comemos aqui em casa estava delicioso, pois apesar de quebrado, em nada mudava a sua essência, assim também somos nós em Cristo. Não ovos, mas VASOS quebrados nas mãos do Oleiro! E Ele, advinha só, está aproveitando a mesma essência (o barro) para fazer VASOS novinhos em folha! Nele somos feitos novas criaturas, mas não “matando” (trazendo a morte) ou “aniquilando” (destruindo ou neutralizando) quem nós somos, mas sim, “renovando” (tornando novo) e “restaurando” (reconstruindo)! Ou seja, está mais para uma reforma da sua moradia do que para uma demolição seguida de nova construção de uma nova casa!

Porque Cristo, nossa Páscoa, foi sacrificado por nós. Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.” (I Coríntios 5:7)

Quando desejamos que o Senhor opere em nós mudanças profundas, devemos convidá-Lo a entrar em nossa casa, em nossa vida, em nossos trabalhos, em nossas igrejas, e deixa-Lo remodelar nossas mentes e nossos corações. Deixemos, pois, com Ele a obra! Pois, afinal de contas, a Palavra de Deus declara (II Coríntios 4:7-9):

Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós. Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos.”

E que tesouro é este? O versículo anterior ao texo acima, talvez responda a esta pergunta (II Coríntios 4:6):

“Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de JESUS CRISTO.”

Aleluia! Feliz Páscoa a todos!

Estante da Vida (Heloísa Rosa)

Eu sou um vaso quebrado pela vida
Eu sou um vaso arranhado pelas circunstâncias
Eu sou vaso quebrado tentando me reconstruir
Eu já fui encostado por haver outros mais fortes

Eu já fui um vaso vazio, sem água, sem flores
Buscando a aceitação dos homens, querendo estar no centro

Mas um dia o Oleiro veio... E me Olhou
Mas um dia o Oleiro veio... E me levou
Mas um dia o Oleiro veio... E quebrou meu coração
E me fez um Vaso novo!

Não importa o lugar, sei que sou visto por Ti!
Não importa o lugar, sei que sou amado por Ti!
Não importa o lugar, sei que sou aceito por Ti!
Não importa o lugar, sei que sou amado por Ti!

Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário