terça-feira, 20 de março de 2012

…E o justo viverá da Fé!

sobre-amor-e-fe‎"Fé é a certeza das coisas que não se veem." (Hebreus 11:6) Estive pensando o quanto nossa espiritualidade em nossos dias depende daquilo que sentimos ou do que achamos que estamos sentindo. Oras, da mesma forma que nosso corpo se comunica com o mundo exterior através dos sentidos físicos (visão, audição, paladar, olfato, tato), nossa alma o faz através dos nossos sentidos emocionais (sentimentos, intuição, emoções). Mas penso que o que o escritor aos Hebreus quer nos transmitir talvez seja o fato de que a FÉ bíblica autêntica não pode estar condicionada aos sentidos físicos ou emocionais.

Na era cristã primitiva, o alvo a ser combatido eram as falsas religiões idólatras, que cultivavam sua espiritualidade através dos ídolos, criando uma relação de dependência com o sentido da "visão". Por outro lado, hodiernamente temos principalmente no povo latino (que inclui nós brasileiros) uma emotividade muito grande, e isso sem dúvida influencia na forma como lidamos com o sagrado. Achamos que nossas emoções são a prova de que estamos nos relacionando corretamente com Deus. E isso acaba por desviar nossa atenção do Deus que Se revela nas Escrituras, e passamos a focar em nós mesmos, em como nos sentimos, em nossas necessidades, e nada mais. De repente, um arrepio, uma emoção forte, uma lágrima que cai espontaneamente de nosso olhar, fala muito mais forte ao nosso espírito do que uma realidade espiritual claramente esposada nas Escrituras.

Quando nos damos conta, estamos distante do Senhor, mesmo que nos "sintamos" bem próximos d'Ele. Não percebemos que nossos pecados fazem separação entre nós e Deus. E assim como Sansão, não anotamos que o Espírito do Senhor se apartou de nós, afinal de contas, ainda nos "emocionamos" ao ouvir aquela canção, ou a nos fazermos presentes na nossa congregação local. Nos achamos ricos, e que não temos falta de nada, enquanto somos pobres, miseráveis, cegos e nus!

Aprendamos de uma vez por todas que o justo vive da fé, e por fé, mas é da fé que não é por vista! E, igualmente, também não é por emoções ou sentimentos, estes são facilmente produzidos por nosso coração que é por natureza perverso e enganador. Se desviarmos nossos olhos das Escrituras, do Cristo que Se revela nela, d’Aquele que andou sobre o mar, então estaremos perdidos e entregues à nossa própria sorte. Mas se desistirmos de confiar em nossos sentidos físicos e emocionais, e nos entregarmos ao Senhor com verdadeira FÉ e devoção, Ele nos acolherá como filhos amados. Tenhamos vigilância!