quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Da Importância do Debate Teológico


Quem diz que debater Teologia não é importante, geralmente diz isso porque não consegue enxergar nela nenhuma aplicação prática. Consideram a Teologia algo para saciar a sede de nossa curiosidade intelectual, algo que supostamente 'esfria o fogo' da verdadeira fé e distrai o foco de coisas mais importantes. O que eles esquecem é que, intrinsecamente, o estudo da Teologia cristã existe em função da ética e vida cristãs. Em outras palavras, a Teologia é uma ciência prática e precisa ser entendida dessa forma.

Nessa perspectiva, o debate histórico de calvinistas e arminianos ou a discussão em torno do neopentecostalismo (tomemos os exemplos mais populares) torna-se útil. Veja, leitor, não estou dizendo que esses debates são imprescindíveis à salvação (até porque não somos salvos por ter uma confissão de fé ortodoxa, mas pela graça, mediante a fé) ou que conhecer e se posicionar quanto a isso é essencial à vida cristã. Estou dizendo que esse tipo de debate é útil, por pelo menos duas razões, descritas a seguir.

Em primeiro lugar, esse debate é útil porque, como já foi dito e deverá ser melhor desenvolvido, a teologia é uma ciência prática. E é prática porque - de forma natural - gera em nós um tipo de espiritualidade, que gera um tipo de vivência. A posição calvinista gera um tipo de espiritualidade, que gera um tipo de vivência; da mesma forma que a posição arminiana gera um tipo de espiritualidade, gerando um tipo de vivência. Alguns amigos meus arminianos costumam dizer que "os calvinistas missionários ou evangelistas não parecem levar seu calvinismo tão a sério assim". Afinal de contas, se você entende que os eleitos vão ser irresistivelmente salvos, você pregando ou não; e que os não-eleitos vão ser incondicionalmente condenados, você pregando ou não: qual seria a real importância de você sair de sua zona de conforto, indo até um lugar terrivelmente distante a fim de pregar o Evangelho? Quem percebe isso é o pastor anglicano e teólogo arminiano John Wesley, em seu sermão intitulado "Graça Livre". O alvo de Wesley, nesse sermão, é criticar a teoria calvinista, com base na conclusão lógica de sua prática. 

Outro bom exemplo é o neopentecostalismo. Alguns pastores que seguem essa linha de pensamento creem que um bom cristão deve ser rico e saudável. Se ele não for rico e saudável, ele provavelmente está sob o jugo de um demônio. Ou é falta de fé em Deus. Que tipo de vida e ética cristã esse tipo de 'teo'logia vai gerar? Possivelmente uma missão comprometida com as coisas desse mundo, e não com as coisas eternas. Não é minha pretensão emitir juízo de valor sobre o calvinismo ou sobre o neopentecostalismo. Só fiz isso a fim de comprovar a minha tese de que um posicionamento doutrinário deve possuir uma conclusão prática, a fim de poder ser bem debatida e provocar a edificação mútua dos irmãos. Essa é uma das razões pelas quais o debate teológico é importante: porque, debatendo a teoria, poderemos aprimorar as nossas relações práticas com Deus e, claro, com o nosso próximo.

A segunda razão pela qual vemos que o debate teológico é importante é que Ele nos aproxima da revelação de Deus, a partir da pessoa de Jesus Cristo e das Sagradas Escrituras. Eu não ligava tanto para a leitura da Bíblia, até que descobri que havia gente usando a Bíblia como instrumento para enganar pessoas e levá-las a darem dinheiro para as suas igrejas. Ora, isso é diabólico e terrivelmente antibíblico. A partir daí, pela graça de Deus, formou-se em mim uma imensa sede em estudar o que a Bíblia diz sobre essas questões. Em minha humilde e ignorante opinião, insisto em dizer que essas bobajadas neopentecostais, como teologia da prosperidade, judaização do culto, confissão positiva etc., são as principais causas que tem levado os jovens de hoje aos Seminários e Faculdades de Teologia. E glória a Deus por isso. 

Como a Escritura nos diz: "...e até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós" (1 Coríntios 11:19). E mesmo com todos os pilantras e mercadores da fé proclamando um falso evangelho, a ordem é clara: 
"Quanto a você, porém, permaneça nas coisas que aprendeu e das quais tem convicção, pois você sabe de quem o aprendeu. Porque desde criança você conhece as sagradas letras, que são capazes de torná-lo sábio para a salvação mediante a fé em Cristo Jesus." (2 Timóteo 3:14-15)
Com isso, concluo que o debate teológico é útil para a nossa edificação (apesar de não ser imprescindível à salvação ou essencial à prática cristã), porque, conforme vimos, a teologia deve ser encarada como uma ciência prática, aprimorando a nossa espiritualidade e vivência com Deus e o com o nosso próximo; bem como nos aproximando das verdades reveladas por Deus para nós, em sua Palavra e em Cristo Jesus, nosso Senhor, Redentor e Mestre.

_______________________
¹ Lucas Martins, por Lucas Martins: "Cristão batista, nordestino, escritor e leve ameaça aos mercantes da fé. Porque o que não tem preço não pode ser vendido." Publicou este texto em seu perfil social no Facebook. Publicado com a autorização do autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário