terça-feira, 12 de novembro de 2013

Por que será que você não vai à igreja?

Eu acredito que tem gente que não frequenta nenhuma igreja e tem um caráter muito melhor do que muita gente que está dentro da igreja.” (Sarah Sheeva)
Desde a entrevista da pastora (pastora?) Sarah Sheeva no programa De Frente Com Gabi, onde a mesma proferiu as palavras acima, vejo muita gente compartilhando essa frase nas redes sociais. Bem, e daí? Qual o problema disso?

Bem, a princípio nenhum, a frase está corretíssima. Trata-se, pois, de simples constatação, bastando para isso que as pessoas frequentem por algum tempo a igreja e conheçam de perto alguns de seus frequentadores (dos quais eu sou um), e, digo isso com total certeza, certamente acabarão tendo algum tipo de decepção ou frustração em relação a isso.

Sem entrar profundamente no mérito da questão, que os cristãos devem ser imitadores de Cristo em todas as áreas, espelhando o Seu caráter em suas atitudes cotidianas, isso é fato. Acontece que, nem sempre isso ocorre... Por quê? Porque a caminhada cristã é comparada à luz do amanhecer, que começa aos poucos até atingir a plenitude. A Escritura diz: “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Provérbios 4.18). Acreditamos que a plenitude pode não ocorrer nesta vida terrena, sendo algo a ser alcançado apenas na eternidade. Isso não significa que não temos um ideal a atingir, e devemos sob o influxo da Graça divina nos esforçar diariamente a alcançar esse objetivo. Foi o que nos ensinou Jesus: “Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste” (Mateus 5:48).

Mas, voltando ao foco da frase, vejo dois problemas implícitos nessa frase. Não estou falando dentro do contexto em que ela foi proferida, mas em referência às inúmeras citações dela nas redes socais, que se dá, evidentemente, fora de contexto. Vejo, inclusive, cristãos assíduos na igreja citando-a, bem como ex-frequentadores de igreja e não-cristãos. Então, vejo que posso falar algo a respeito dela em diversos ângulos.

Por exemplo, a frase pode muito bem ser entendida como um desincentivo a ir à igreja regularmente. Os cristãos estão atentos às exortações bíblicas quanto ao dever de congregar (Hebreus 10:25). Quanto a isto, não merece qualquer discussão. Porém, pessoas de fora podem ouvir essa citação da Sarah Sheeva (ainda que não tenha sito essa a intenção dela ao proferi-la) como um desincentivo até mesmo a ir à igreja uma única vez, já que é comum a referência de algumas pessoas que não simpatizam com o cristianismo aos cristãos de uma maneira geral como pessoas hipócritas, legalistas, retrógradas moralmente, alienadas culturalmente, etc. Sobre os motivos mais comuns que as pessoas alegam para não irem à igreja, é que trata este vídeo (original, em inglês), intitulado “Por que será que você não vai à igreja?”. Alguns amigos e conhecidos meus fizeram uma versão deste vídeo em Português, vale a pena conferir!

Por outro lado, a aludida frase apresenta um falso paradoxo (ou falso dilema), a saber: pessoas que frequentam a igreja devem ser pessoas de bom caráter, e pessoas que não frequentam a igreja, não necessariamente. Oras, isto é um absurdo! Afinal de contas, o que é caráter? Caráter é, em essência, aquilo que você realmente é em relação às escolhas que você faz. Boas escolhas, bom caráter. Más escolhas, mau caráter. Ocorre que Deus tem dotado o ser humano com a capacidade de fazer tais escolhas. Ele nos aconselha: “Escolhe pois a vida, para que vivas” (Deuteronômio 30:19), porém não nos força a escolher o bem sempre. Essa escolha cabe a nós, bem como as suas consequências.

Outrossim, ter bom caráter é uma qualidade que todas (!) as pessoas devem ter, ou buscar ter. Essa obrigação não se torna maior pelo fato de você frequentar uma igreja, nem menor por não frequenta-la. É algo que faz parte da Ética geral da humanidade.

Por outro lado, a frase acima me traz ainda uma preocupação ainda maior. Ela sugere, ainda que sutilmente, que uma pessoa de bom caráter não precisa frequentar uma igreja, e mais sutilmente ainda, que ela não precisa de Cristo. Não precisa colocar a sua fé e confiança pessoal no sacrifício vicário de Cristo na cruz do Calvário, pois, afinal de contas, ela já é uma pessoa de 'bom caráter'. Como se isto, por si só, fosse suficiente para agradar a Deus. Ocorre que a Bíblia nos ensina: “Sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11:6).

As Sagradas Letras nos ensinam que, aos olhos de Deus, “todas as nossas justiças como trapo da imundícia” (Isaías 64:6), e ainda, que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:23). Portanto, todos nós necessitamos de um Salvador, um Redentor, portanto, não somos salvos porque somos bonzinhos, na verdade todos nós mereceríamos o castigo eterno no inferno, se não fosse o sacrifício de Cristo na cruz em nosso favor. Portanto, ao Senhor pertence a nossa salvação (Jonas 2:9), e isto não vem de nós mesmos, é dom de Deus, para quem ninguém se glorie de suas próprias boas obras (Efésios 2:8), e isto se dá mediante a fé que temos depositado em Cristo.

Soli Deo Gloria.

(Originalmente publicado no Facebook.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário